Auditório lotado para assistir o espetáculo dos corais

25, setembro de 2018

A agradável noite de sábado (22 de setembro) levou um público cativo, apreciador de belas músicas, a lotar as dependências do auditório do Teatro do Colégio Mauá, para prestigiar o XXII Encontro de Corais da Afubra, ocorrido na noite de sábado, 26, em Santa Cruz do Sul. As belas interpretações, extraídas de um repertório variado, fizeram do espetáculo uma noite inesquecível.

Promovido desde 1997, o encontro realizado pela Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) presta uma homenagem aos grupos de corais, cujos integrantes persistem na tradição de manter acesa a chama do canto de múltiplas vozes. Para o presidente da entidade, Benício Albano Werner, a música e o canto dos coralistas leva a um mundo de alegrias e de emoções. “A tradição, que vem de nossos antepassados, é uma das mais puras expressões da arte”, disse. “É gratificante saber que uma tradição tão bonita não está desaparecendo. Ao contrário, permanece viva e sendo incentivada”.

O vigésimo segundo encontro iniciou com o Coral Em Canto Pela Vida, de Coqueiros do Sul/RS. Regido por Nicétio Endler, apresentou as canções Como a Flor; Non Hon L’eta Per Amarti; Sozinho Não Sou Ninguém; e Alleluia. O grupo daz parte da Sociedade de Cantores Niegedacht e foi fundado em 06 de janeiro de 2017.

Em seguida, o Coral Municipal de Sinimbu, regido por Rafael Schultz, apresentou: Das Lied Der Berge; Uirapuru; Do Tamanho Do Sonho; e Pout-Pourri Gaúcho (Meu Pago, Querência Amada, Prenda Minha). A história do Coral Municipal iniciou em 12 de julho de 1993, quando um grupo de 28 pessoas reuniu-se para cultivar e divulgar a cultura do povo de Sinimbu. Em 2003, através de um Projeto de Lei, foi oficialmente criado.

O Coro Masculino da Afubra, fundado em 2010, e regido por Gustavo Henrique Sehnem, foi o terceiro grupo a se apresentar: Ein Schöner Tag; Cevando o Amargo; Eu Só Quero Um Xodó; e Pilares. Já o Coral da Afubra, fundado em 1955, e também regido por Gustavo Henrique Sehnem, apresentou Andorinha Preta; Pai Nosso; Jetz Kommen Die Lustigen Tagen; e Imagine.

O Conjunto Instrumental Félix Hoppe, de Linha Nova, interior de Santa Cruz do Sul, fechou as apresentações da noite, com a percussão das músicas Medley De Canções (Massachusetts, I Just Called To Say, I Love You, Amigo); Super Troupper, Can’t Take My Eyes Off You; Schneewalzer, Oh Isabela; e Zillertaler Hochzeitsmarsch, Coronel Bogey March. Regido por José Ornélio Peixoto, o Conjunto Instrumental é o resultado de um trabalho que iniciou no ano de 2004 com a criação do projeto Prática Musical na Escola. É composto por alunos e ex-alunos.

SURPRESAS - A exemplo do Encontro de Corais de 2017, o público novamente foi recepcionado pela “Rádio Coral” e seu “radialista” Luiz Afonso Hermes, desta vez, acompanhado pelo “jornalista” Benno Kist (ambos integrantes do Coro Masculino da Afubra. Eles apresentaram os grupos e “entrevistaram” os convidados, dando um tom descontraído a já alegre noite. Outra surpresa preparada foi a participação da candidata da Afubra à corte da 34ª Oktoberfest, de Santa Cruz do Sul. A colaboradora da Agro-Comercial Afubra Ltda., Vanice Inês da Silva Souza, junto com seu irmão Anderson, dançou músicas entoadas pelo Coro Masculino da Afubra. Vanice também convidou o público presente a prestigiar a Festa da Alegria, de 10 a 21 de outubro.

 

 

Texto: Jorn. Luciana Jost Radtke

Tags: Música, Coral, Afubra

COMPARTILHAR:

Top