Base da alimentação dos animais o produtor dispõe na propriedade

22, março de 2018

Alternativas de alimentar os animais da propriedade com valores baixos e acessíveis aos produtores rurais, principalmente os de menor poder aquisitivo e, mostrar ao produtor que quase a totalidade dos produtos que ele tem na sua propriedade, podem ser transformados em alimentos com ótimo valor nutricional. É o objetivo do trabalho que está sendo apresentado pelos alunos do curso de Zootecnia Grupo de Nutrição de Ruminantes da UFRGS na Expoagro Afubra 2018.

Segundo o aluno Marcos Fernando Osório, o grupo sempre trabalhou o preparo e processo destes alimentos, como o milho, que é tratado de diversas formas; farelo de arroz com tratamento para melhor aproveitamento dos ruminantes; silagem de cana-de-açúcar com técnicas para amolecer a fibra e com técnicas de conservação; e, aproveitamento integral da mandioca, desde as folhas, rama até a raiz. Além do farelo, o grupo apresenta os alimentos oriundos do processo de pré-limpeza do arroz, que são muito pouco utilizados, sendo eles o grão quebrado, a casca, o canevão e outras daninhas (grão vermelho e grão chocho). Osório salienta que o farelo de arroz é muito utilizado no preparo das rações de cães, aves e suínos, e, quando se fala em farelo de arroz para ruminantes, o uso é limitado porque ele tem altos teores de gordura e o ruminante não tem evoluído para comer esta gordura. Para isso, explica Osório, é feito um tratamento para esta gordura, que é feito com temperatura e base química forte, denominada de processo de saponização. ”Praticamente todos ou grande parte destes alimentos o produtor tem em sua propriedade e não os utiliza e prepara por desconhecimento”, reforça. “É possível oferecer uma diversificada alimentação aos animais da propriedade com baixo custo.”

 

Edemar Etges - Expoagro Afubra 2018/Foto: Lula Helfer/Afubra

Tags: Expoagro Afubra, Diversificação, Solo, Animais

COMPARTILHAR:

Top