Temporal castiga lavouras de tabaco nos três Estados do Sul

03, outubro de 2017

O forte temporal que atingiu os três estados do Sul do Brasil no último domingo, 1º de outubro, castigou as lavouras de tabaco. Até a manhã de hoje (03), a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra) já recebeu a notificação de 2.550 atingidos, mas este número pode ultrapassar os 3 mil. Destes, no Paraná, a região mais atingida é a de Francisco Beltrão. Em Santa Catarina, a região de São Miguel do Oeste (420), no extremo-oeste catarinense. No Rio Grande do Sul, o Vale do Rio Pardo foi fortemente castigado. As principais regiões atingidas foram: Santa Cruz do Sul (860), Candelária (425), Sobradinho (322) e Venâncio Aires (200).

O presidente da entidade, Benício Albano Werner, explica que toda a equipe técnica da Afubra está no campo, efetuando o levantamento dos danos. “O produtor pode ficar tranquilo, que atenderemos todas as chamadas”, afirma Werner. O sistema mútuo, como é de praxe, cobre os prejuízos causados pelo granizo e granizo/tufão, de acordo com a modalidade que o associado optou no momento de inscrever suas lavouras. Fumicultores que ainda desejam inscrever suas lavouras tem prazo até 31 de outubro. Para aqueles que antecipam o pagamento, até o final de outubro, o desconto é de 4%. O procedimento é válido também para os produtores que já efetuaram seu pedido de inscrição da presente safra.

CARÊNCIA – A partir da safra 2017/2018, o prazo de carência passa a ser de sete dias, a partir da entrega dos pedidos de inscrição de lavouras na Afubra, matriz e filiais, e postagem no Correio. A nova regra foi aprovada na Assembleia Geral Ordinária, em julho de 2016. “O produtor devedor, mesmo tendo feito sua inscrição anterior ao pagamento, a validade contará sete dias a partir da data do pagamento”, explica o presidente da Afubra.

 

Texto: Jorn. Luciana Jost Radtke/ Foto: Arquivo/ Áudio: Elpídio Jair Iser

Tags: Tabaco, Granizo, Sistema Mutuo, Temporal

COMPARTILHAR:

Top